sexta-feira, 20 de abril de 2012

Clichês românticos e etc...

Boa noite lisérgicos de plantão, agora é quase 1h da manhã, eu sei que está um pouquinho tarde, então, bom dia pra quem vai ver este post assim que acordar e boa tarde pra quem vai ler no meio da tarde... Enfim, este post é especial porque eu vim falar sobre algo que tem ocupado muito a minha mente (o que pode ser bom e/ou ruim).
Alguém aí já se apaixonou? Pois é, é disto que venho fugindo desde minha última decepção amorosa (bem feia por sinal). Mas acontece que, as vezes, conhecemos pessoas que aos poucos vão se tornando especiais pelo simples fato de que estão te dando o que tu mais quer no momento, o que no meu caso é carinho. E quanto mais gostamos de algo, mais queremos, e quanto mais queremos, mais laços criamos. Mas criar laços significa apegar-se, apaixonar-se, o que está fora dos planos iniciais.
O problema é que a teoria sempre é mais fácil que a prática, sendo assim, fica mais fácil de não se apaixonar quando ninguém te dá carinho. Mas eu tenho esse carinho, o que não resultou em uma paixão, mas num apego, que, nos dias de semana, é saudade e saudade é o resultado de quando se está longe de alguém importante. Mas está fora da minha teoria ter alguém importante, portanto, está tudo errado (ou perfeitamente e naturalmente certo).
O ser humano sempre procura por qualidades, mas fica complicado quando o que te encanta no outro é justamente o que resta depois das qualidades, é o jeito espontâneo de ser, e como ele mesmo diz: Aí não me serve!
Aí eu conheço um cara que eu achei bonitinho e me lembro dele e fico assustada e me disperso, perco o fio da meada, corto o menino e não me abro como se eu não pudesse conhecer outros, MAS EU POSSO!
A estratégia inicial era: Conhecer pessoas novas, ficar com quem eu achar legal e ter amigos, não me apaixonar ou ter algo maior... Mas é que é tão difícil quando tudo no outro te agrada!

terça-feira, 17 de abril de 2012

Absinto

Boa noite lisérgicos...
Como andam? Alguma novidade? Bom, eu tenho! Estou desempregada!!!
Mas é simples, não devemos estar onde não queremos, então vale muito mais ficar desempregada do que num lugar que eu não me sentiria bem!
Eu acho muito engraçado quando as pessoas se prendem á coisas que as deixam infelizes por comodidade, sendo que é tão simples largar tudo! Claro, tem contas e coisas que te prendem á um emprego por exemplo, mas antes dever até as calças do que ficar infeliz num lugar onde só te faz mal, o importante sempre é buscar algo melhor, só assim você vai ficar de bem com você mesmo e feliz com o que faz.
Aí você acorda todos os dias no mesmo horário, se levanta, toma sua dose de Absinto e se joga em mais um dia, chega uma hora que isso cansa e aí você se revolta contra inimigos inexistentes procurando por uma vitória já perdida, e aí você descobre que é apenas mais um trabalhador da classe operária dos perdedores, e é aí que você abre os olhos e procura por algo mais compensador, que atinja as suas expectativas enquanto você mesmo se vê não conseguir. E então, o que era mesmo obrigação? Não se lembra mais nem mesmo a data...
Como a excelentíssima diretora da minha escola fala, "a grosso modo", vai ser feliz independente de qualquer coisa pô!

sábado, 14 de abril de 2012

The Amanda's - Ai se eu te pego

Eu e minha amigona, Amanda (também), fomos no aniversário da nossa outra amiga, Adri, e cantamos no Karaokê várias músicas, entre elas "Ai se eu te pego", do queridíssimo (blééé) Michel Teló. Veja só no que deu:
video

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Pós-páscoa

Bom dia lisérgicos!... Ou boa tarde (ou boa noite)... enfim, olá! Como foram de páscoa???
Desculpa ter demorado pra postar, mas é que esta semana foi bem corrida, não tive tempo pra nada, a até segunda não terei, afinal, segunda tem prova de física e matemática :s
E aíí?? E as novas? Ganharam muito chocolate? Bom, eu ganhei, e depois de me encher de chocolate e de ser chamada de gorda várias vezes, finalmente a páscoa acabou de vez! E com essa páscoa eu aprendi que chocolate vicia '-'
Chegou uma hora que eu não conseguia parar de comer, não importa o quanto estivesse enjoada, tinha que comer só mais um! Eis que o resultado é um quilo a mais, mas sem stress que eu recupero ;D
Talvez, quase certo, eu volte a noite pra filosofar um pouco, e já tenho até um princípio de ideia pro próximo post, o que vocês acham de falar das pessoas que entram na nossa vida e mudam?
Bom, até a noite!

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Páscoa

E domingo tem páscoa... Que coisa boa, acordar ás 10h da manhã e sair pela casa seguindo as pegadas deixadas estrategicamente pelo coelhinho da páscoa procurando seu ninho, pena que eu já tenho 16 (quase 17) anos!
E não é mais época de ganhar, mas de dar presentes, essa é uma das grandes coisas ruins de ser adulto.
Dá pra voltar para os nove anos?
Sinceramente, nunca gostei muito de chocolate, como um monte, mas acho que é muito doce, e particularmente, sou mais do salgado. Mas ver os ninhos cheios, nossa, isso enchia os meus olhos, e só abria os ovos pra ver a surpresa (nenhuma que tenha me impressionado até hoje), porque aí eram um ou dois meses com um ovo de páscoa na geladeira. E até hoje gosto de ganhar chocolate, porque adoro ganhar presentes, sejam quais forem, o importante é a intenção.
Mas, esse ano, mandem um beijo para o coelhinho por mim, porque ele vai passar bem longe de mim. Mas tudo bem, o que vale é a intenção ;D
Em compensação, pra dar inveja naqueles que só ganham ovos de páscoa, eu ando ganhando muitos momentos bons de páscoa, desde almoços em família, até festas e uma futura demissão. Sim, ando me divertindo como não me divertia a um ano precisamente (não disse que não me diverti esse ano que passou, mas que o divertimento era bem diferente, pra deixar claro que não estou cuspindo no prato que comi).
Então é isso, Feliz Páscoa pra vocês e comam muito chocolate enquanto eu chupo o dedo!

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Devaneios

Eu deveria estar fazendo um resumo de português, mas com certeza o blog é mais importante, então, eis-me aqui escrevendo  sobre meus devaneios...
Sabe quando a gente olha pra um ponto qualquer e descansa as vistas fazendo com que as mesmas fiquem embaçadas? Sim, é nesse momento que recapitulamos tudo do dia, da semana, do final de semana, ou qualquer momento que tivermos vontade. Essa é a melhor hora de todas, porque é teu. Ás vezes eu penso "nossa, posso pensar qualquer idiotice, porque ninguém vai ouvir mesmo!", mas as vezes ainda me pergunto se não ouvem mesmo... G.G
Tem certos momentos que tenho uma overdose de cansaço, por todo o trabalho e estudo do dia, e aí paro e não penso em absolutamente nada, um branco vem na minha cabeça e eu morro por um ou dois minutos, e isso é bom sabe... Morrer por alguns minutos é muito bom!
Tu se perde nas profundezas de um mar de lembranças e quando vê, descobre que aquilo é uma imensidão sem fim, sem saída, sem nem saída de emergência, e é aí que tu se joga mais afundo nessa imensidão azul, onde não se sabe nem o que é céu e nem o que é água, mas não importa, apenas se joga, rezando para  que ninguém veja... E o romantismo é deixado de lado, sobrando apenas a espontaneidade, o que nada mais é que o puro romantismo a flor-da-pele.
Românticos á parte, buscamos sempre uma razão, mesmo que não se saiba o quê, mas temos que ter algo palpável para nossa segurança. É como se numa imensidão de mar tentássemos achar terra firme, esperando por uma praia que nunca chega, o que há indícios de que não existe na mente humana.
Águas frias, águas quentes, mas sempre águas...